Com investimento de 90 milhões de reais, Campinas deve ganhar um museu voltado para divulgar a história dos modais ferroviários, rodoviário, aeroviário e aquaviário, o Museu Brasileiro do Transporte, que foi projetado e será implementado pela Fundação Memória do Transporte (Fumtran).

No museu, o visitante terá contato com imagens, cabines de navios, aviões, ônibus e trens, fotos, réplicas, vídeos, documentos e peças. A interatividade fará parte de todas as instalações, para que o público possa entender como é o trabalho de quem lida diretamente com os meios de transporte – aviadores, motoristas de ônibus, caminhoneiros e comandantes. Com isso, os personagens que dedicaram suas vidas aos transportes também serão lembrados e homenageados.

“O transporte não tem história no Brasil, e sem história você não tem raiz. Além disso, aqui ele visto como vilão. O conteúdo do museu vai ajudar a mudar isso, pois é um setor fundamental para o país. Sem transporte você não faz nada”, explica a presidente da Fumtran e responsável pelo museu, Elza Lúcia Ponzan.

As obras devem ser concluídas até o final de 2014, em 19,2 mil metros quadrados de construção em aço, vidro e concreto, na Rodovia Dom Pedro I, na altura do Km 143, em frente ao Aeroporto Campo dos Amarais, onde está localizada a sede do portal 360 Graus e do Hangar360.

O desenho do projeto é do escritório de arquitetura Athié/Wohrath, e venceu recentemente o IX Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa na categoria obras públicas culturais. O museu terá seis pavimentos, com área para exposição e centro de convenções, restaurante, café e estacionamento.

O foco das exposições estará na interatividade voltada principalmente para adolescentes e crianças. Os ingressos terão preços simbólicos, e o local arrecadará recursos com o aluguel de parte de suas instalações.

O projeto inicial teve financiamento da Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Outros recursos serão angariados do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura.